2016

Olimpiadas No Brasil

Em 2016 o Brasil será palco das maiores e mais emocionantes disputas esportivas durante os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. Receberemos grandes ídolos, das mais variadas modalidades, e teremos o privilégio de acompanhar tudo aqui no nosso país. Para os amantes do esporte é uma oportunidade única, assim como para os atletas, que sonham em representar o Brasil na principal competição mundial.

E para chegar até os Jogos Olímpicos do Rio 2016 foi um longo percurso, repleto de dedicação, determinação, disciplina, vitórias, derrotas e muita superação. Nesse cenário, ter empresas que vislumbram no esporte uma interessante plataforma de relacionamento é muito importante para qualquer atleta.

Por isso, é com grande satisfação que apresentamos a proposta dos atletas Vanderlei Cordeiro de Lima e Solonei Rocha da Silva para o projeto “Atletas Olímpicos EMS 2016”.

Saudações olímpicas!

Vanderlei Cordeiro de Lima

Nascido em 1969, no interior do Paraná, Vanderlei é o sétimo filho de uma família de origem humilde. Quando criança, trabalhou como boia-fria e, correndo pelas lavouras, descobriu sua aptidão para o esporte.

Foi atleta profissional de 1992 a 2008 e representou o Brasil em três Jogos Olímpicos, três Jogos Pan-Americanos, além de alguns campeonatos mundiais, sempre na prova da maratona.

Em Atenas (2004), realizou seu maior sonho: uma medalha olímpica. Também foi agraciado com a medalha Pierre de Coubertin, por mérito do meu comportamento durante a disputa. Depois de encerrar sua carreira atlética, partiu em busca deoutro sonho: o Instituto Vanderlei Cordeiro de Lima/ORCAMPI.

Principais conquistas:

Medalha de Bronze

Medalha de Bronze nos Jogos Olímpicos de Atenas, 2004;

Medalha de Ouro

Medalha de Ouro nos Jogos Pan-Americanos de Santo Domingo, 2003;

Medalha de Ouro

Medalha de Ouro nos Jogos Pan-Americanos de Winnipeg, 1999;

2008

Medalha de Prata

Medalha de Prata nos Campeonatos Mundiais de Revezamento em Estrada - Kopenhagen, 1996;

Medalha de Bronze

Medalha de Bronze por equipes na Copa do Mundo de Maratona Atenas, 1997;

Campeão

Campeão da Maratona de Hamburgo, 2004;

Campeão

Campeão da Maratona de São Paulo, 2002;

Campeão

Campeão da Maratona de Tóquio, 1996;

Campeão

Campeão da Maratona de Reims, 1994;

Vice-campeão

Vice-campeão da Maratona de Beppu-Oita, 2000;

Vice-campeão

Vice-campeão da Maratona de Tóquio, 1998;

Vice-campeão

Vice-campeão da Maratona da Coréia, 1997;

Terceiro colocado

Terceiro colocado na Maratona de Rotterdam, 2000;

Terceiro colocado

Terceiro colocado na Maratona de Fukuoka, 1999;

Quinto colocado

Quinto colocado na Maratona de Nova Iorque, 1998.

Medalha

Medalha Pierre de Coubertin (2004) - concedida pelo Comitê Olímpico Internacional. É destinada atletas que demonstrem elevado grau de esportividade e espírito olímpico durante a disputa dos Jogos;

Prêmios:

Prêmio

III Prêmio Ernest Lluch - (Espanha, 2004);

Prêmio

Prêmio Brasil Olímpico (2004) - Melhor Atleta do Ano; Personalidade Olímpica do Ano; Melhor Atleta do Atletismo Brasileiro do Ano.

Prêmio

Prêmio Adhemar Ferreira da Silva – Prêmio Brasil Olímpico (2014).

Embaixador

Embaixador da Maratona da Paz, na divisa entre a Coréia do Norte e a Coréia do Sul (2007);

Porta-bandeira

Porta-bandeira da delegação brasileira nos Jogos Pan-Americanos do Rio de Janeiro (2007);

Revezamento

Integrante do revezamento da tocha olímpica em Londres (2012);

Embaixador

Embaixador do evento One Young World em Pittsburgh (2012);

Homenagem

Homenageado pelo Museu de Maratona, na Grécia (2014).

Solonei Rocha da Silva

Nascido e criado em Penápolis, interior de São Paulo, Solonei teve seu primeiro contato com o atletismo durante uma corrida entre os funcionários da empresa que trabalhava secando couro. Venceu a prova percorrendo os 3.300 metros de chuteiras, causando fortes dores após a atividade.

Se manteve afastado das corridas por dois anos e aos poucos voltou a participar de eventos nas cidades vizinhas. Seus resultados chamavam a atenção e então ele começou a trabalhar como coletor de lixo para conciliar a função aos treinos. As corridas atrás do caminhão o ajudaram a conquistar mais algumas importantes marcas até que ele passou em um teste para integrar uma equipe de atletismo com sede em Bragança Paulista.

Desde então passou a acumular grandes feitos. Em 2011 conquistou a medalha de ouro na Maratona Pan-Americana, em Guadalajara. No ano seguinte foi campeão da Maratona de São Paulo, colocando de vez seu nome entre os grandes corredores brasileiros. Em 2013 passou a ser orientado por Ricardo D´Angelo, experiente treinador de fundo que trabalhou com Vanderlei Cordeiro de Lima ao longo de sua carreira. Nesse mesmo ano foi 6º colocado no Mundial de Moscou. Em 2015 foi campeão da Meia Maratona de São Paulo e da Meia Maratona de Campinas. Participou de mais um Campeonato Mundial, dessa vez em Pequim, na China.

Obteve a 18ª colocação em uma prova duríssima e saiu de lá com o passaporte carimbado para os Jogos Olímpicos do Rio 2016, por conta dos critérios técnicos estabelecidos pela Confederação Brasileira de Atletismo. Agora, o ex-coletor de lixo que transformou a sua vida através do esporte, treina em busca de mais um sonho: uma medalha olímpica em “casa”, nos Jogos Olímpicos 2016.

EVENTOS ATLETAS

Nenhum evento programado.
Nenhum evento programado.

CALENDÁRIO ATLETAS